Admite-se o litisconsórcio ativo necessário?

8 de março de 2021 Off Por Projeto Questões Escritas e Orais

Já caiu na PGE-RN(prova subjetiva-2015).

A maioria da doutrina entende que não é possível. Principal argumento: não pode subordinar o direito de ação, autônomo e personalíssimo de alguém, ao intento, à vontade, de outro.


Existe uma posição muito particular de Nelson Nery, que é sempre bom de se colocar na prova: esse doutrinador assevera que que quando a pessoa não quer ingressar no polo ativo (apesar de, em tese, ter que ser litisconsórcio ativo) deve o autor colocá-la no polo passivo.